Assista nossos Programas

domingo, 18 de setembro de 2016

GRANDES EXPOENTES DA MÚSICA MEXICANA SE APRESENTAM COM A OSUSP NO MÊS DE OUTUBRO

Com apoio da Embaixada do México no Brasil e do Consulado Geral do México em São Paulo, a OSUSP recebe o maestro Jesús Medina, diretor artístico da Orquestra Sinfônica da Universidade Autônoma de Novo Leão, para dirigir obras dos compositores mexicanos Eduardo Gamboa e Eduardo Angulo, com participação do solista Miguel Ángel Villanueva, flautista de destaque naquele país.

Serão executadas as obras Fanfarra para metais e percussão e Jarabe, de Eduardo Gamboa, eConcerto nº 2 para flauta e orquestra, Pacífico e Suíte Mexicana, de Eduardo Angulo.


OSUSP se apresenta com Jesús Medina e Miguel Ángel Villanueva
30 de setembro, sexta-feira, 12h30, Ensaio Aberto, Centro de Difusão Internacional da USP
Entrada Franca
Faixa Etária recomendada: a partir de 7 anos – Duração: 60 min – 800 lugares

Centro de Difusão Internacional da USP: Avenida Professor Luciano Martins Rodrigues, 1434 - Bloco A - Cidade Universitária – SP – SP. Em frente ao prédio da ECA.

Telefone: 11 3091 3000


1º de outubro, sábado, 21h, Sala São Paulo
Ingressos: de R$20,00 a R$70,00
Vendas: www.ingressorapido.com.br ou na Bilheteria da Sala São Paulo
Faixa Etária recomendada: a partir de 7 anos – Duração: 100 min – 1.484 lugares
Sala São Paulo: Praça Júlio Prestes, 16 - São Paulo, SP
Telefone: 11 3223 3966


SOBRE OS ARTISTAS

JESÚS MEDINA

Em janeiro de 2010, Jesús Medina foi nomeado diretor artístico da Orquestra Sinfônica da Universidade Autônoma de Novo Leão, depois de ter trilhado um caminho importante a frente de proeminentes orquestras mexicanas: Orquestra Filarmônica da UNAM; Orquestra de Câmara de Bellas Artes, da qual foi diretor artístico entre 2002 e 2010; Orquestra Filarmônica de Querétaro; e OSUANL. Além disso, Jesús Medina fundou em 2008 a Milenium Sinfonietta, na qual é diretor artístico até hoje.

Medina já se apresentou nos Estados Unidos, Brasil, Argentina, Colômbia, Equador, Venezuela, América Central, França, Espanha, Itália, Portugal, Polônia, Suiça, Hungria, República Checa, Alemanha, Rússia, Sérvia, Montenegro, Singapura e Turquia. Tem sido convidado para participar dos principais festivais que se realizam no México, entre eles o Festival Internacional de Cervantino, de Tamaulipas, do Centro Histórico da Cidade do México, de Sinaloa, o Fórum Internacional de Música Nova, dentre outros. Estreou obras de importantes compositores mexicanos, entre os quais Eduardo Angulo, Jorge Córdoba, Eugenio Toussaint e Arturo Márquez. No México, dirigiu estreias de importantes obras, como o Dies Irae de Penderecki e o Beatus Vir de Górecki, além de óperas no Palácio de Bellas Artes e numerosos balés com a Companhia Nacional de Dança.

A crítica nacional e continental tem reconhecido seu trabalho como diretor de orquestra em várias ocasiões, tendo recebido em 1991 o Diploma de Melhor Diretor do Ano pela União de Cronistas de Teatro e Música; e em 2004, o Prêmio Gaviota da Associação Latinoamericana de Cronistas.

Realizou seus estudos de direção orquestral sob a orientação do renomado maestro Charles Bruck na famosa Escola Pierre Monteux, no Maine, Estados Unidos.



MIGUEL ÁNGEL VILLANUEVA

Miguel Ángel Villanueva é atualmente o flautista solista mais ativo no México e um dos mais importantes intérpretes e promotores da nova música para a flauta transversal solo. Em 2003 foi selecionado para realizar uma residência artística no Banff Centre, em Alberta, Canadá. Foi convidado para participar como principal recitalista da Convenção da Associação Nacional de Flauta em agosto de 2010 na Califórnia, EUA e do Congresso Mundial de Harpa.

Foi professor do Festival Internacional de Flauta de Stratford, Inglaterra, do Conservatório de “Bourg-en-Bresse”, na França e da Escuela Superior de Música do INBA. Em março de 2009, foi convidado como concertista e professor no International Flute Choir Festival at Fresno Pacific, EUA. Tem lecionado numerosos cursos no México.

Em 2008 publicou seu terceiro álbum, Amatzinac, com obras para flauta e orquestra de Jose Pablo Moncayo e outros autores mexicanos, sob direção de Jesús Medina. Em maio de 2009, gravou, como solista, com a Orquestra Filarmônica da Cidade do México as obras El Flaustista de Hamelin e El Ruiseñor de Eduardo Angulo, sob a direção de Jesús Medina. Em 2010 publicou Repensando Gauguincom as obras para flauta e orquestra que Eugenio Toussaint e Horacio Uribe lhe dedicaram. Em 2011 foi lançado seu CD En Bleu et Or com a violinista francesa Élodie Guillot e a pianista canadense Vanessa May-lok Lee. Em 2012 publicou Joyas Olvidadas com músicas de compositores italianos do século XVIII, com o guitarrista Fernado Villanueva. Atualmente se prepara para a publicação do CD que contém a obra integral para duas flautas de Georg Philip Telemann.

Iniciou seus estudos musicais na Escuela Nacional de Música da UNAM, com Roxana Lara, Héctor Jaramillo, Luisa Durón e Néstor Castañeda. Posteriormente, aperfeiçoou-se na École Normale de Musique de Paris e no Conservatoire de National de Région de Saint-Maur, na França, onde obteve o Diploma Superior de Execução e a Medalha de Ouro, respectivamente, sendo seus mestres Jacques Royer (Orquestra de Paris), Ida Ribera (Assistente de J. P. Rampal), Shigenori Kudo (Solista Internacional) e Michel Moragués (Orquestra Nacional da França).

Paralelamente a sua atividade como concertista, é coordenador geral da Convenção Internacional de Flauta Transversal, criador e diretor artístico do Concurso Nacional de Flauta Transversal, sendo ainda professor titular de Flauta Transversal nos níveis de iniciação musical, propedêutica, licenciatura e pós-graduação na Escola Nacional de Música da UNAM.


SOBRE A OSUSP

A OSUSP - Orquestra Sinfônica da Universidade de São Paulo - foi fundada em 1975 e teve como regentes titulares Camargo Guarnieri (1975-1993), Ronaldo Bologna (1993 a 2001), Carlos Moreno (2002 a 2008) e Lígia Amadio (2009 a 2011). Nestes 40 anos de existência, realizou excursão pela Alemanha, lançou oito CDs, organizou concursos de composição, participou de montagens de ópera e se apresentou com regentes e solistas de renome internacional como o tenor José Carreras, o violinista Schlomo Mintz e os pianistas Arnaldo Cohen, Yara Bernette, Roberto Szidon e Ingrid Haebler. Sua temporada anual consiste em apresentações regulares em diferentes salas de concerto e nos diversos campi da USP. Em 2006 recebeu o Prêmio Carlos Gomes de “Melhor Orquestra do Ano”.

A OSUSP é um órgão da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária e tem como objetivos principais divulgar a música sinfônica e camerística, inovar em propostas educacionais e artísticas, estimular a formação de público e, sobretudo, promover a interação entre o saber produzido na Universidade e a sociedade.


PROGRAMA

EDUARDO GAMBOA (1960)
Fanfarra para metais e percussão (3’)
EDUARDO GAMBOA (1960)
Jarabe (6’)
EDUARDO ANGULO (1954)
Concerto nº 2 para flauta e orquestra (23’)
Solista: Miguel Ángel Villanueva, flauta
EDUARDO ANGULO (1954)
Pacífico (18’)
EDUARDO ANGULO (1954)
Suite Mexicana (15’)
Duração Total: 1h05min

SOBRE AS OBRAS

FANFARRA PARA METAIS E PERCUSSÃO

Trata-se de uma peça breve de música festiva, brilhante e de celebração, que se encontra imersa nessa longa tradição que vem do distante século XVI, quando se reuniu o primeiro grupo de cornettos e sacabuxas (ancestrais dos atuais trompetes e trombones) dando início à prolífica história da fanfarra como gênero musical.

Esta pequena obra foi comissionada pela Universidade Autônoma de Aguascalientes (México) como parte das comemorações pelo 25º aniversário de sua fundação.

A estreia ficou a cargo da Orquestra Sinfônica de Aguascalientes, sob regência do maestro Gordon Campbell, no Teatro de Aguascalientes, em 19 de junho de 1998.

A Orquestra Filarmônica das Américas, dirigida por Alondra de la Parra, interpretou essa Fanfarra em 2008 no Avery Fisher Hall do Lincoln Center de Nova Iorque.

JARABE
Escrita originalmente para flauta, violino, viola e violoncelo, Jarabe é o quarto e último movimento do divertimento Transparências, que foi composto em 1997 para o flautista brasileiro Tadeu Coelho, no âmbito de um projeto patrocinado pela Fundação para a Cultura México/Estados Unidos.
Em 1999, Gonzalo Romeu orquestrou a peça e dirigiu sua estreia com a Orquestra Sinfônica de Aguascalientes, nesta cidade.
A obra recria gestos próprios da música popular de Jalisco e de Huasteca, estruturados em uma espécie de suíte de danças. Daí vem seu título.
Jarabe foi a primeira peça interpretada em público pela Orquesta Sinaloa de las Artes, em sua estreia, em outubro de 2001, em Mazatlán, sob a batuta de seu regente titular e fundador, maestro Gordon Campbell, que depois a regeu com a Filarmônica de Montevidéu, Uruguai, em concerto dedicado exclusivamente a minhas obras, em novembro de 2003.
A estreia na cidade do México ficou a cargo da Orquestra Sinfônica Nacional, dirigida pelo maestro Enrique Arturo Dimecke, em maio de 2002, no Palácio de Belas Artes.

Comentários de Eduardo Gamboa, compositor

EDUARDO GAMBOA (1960)

Graduado pela Trinity College of Music de Londres, Gamboa se dedica inteiramente a composição desde 1985. Sua obra inclui música de concerto, tanto de câmara como sinfônica, assim como uma vasta produção de musicas para cinema e teatro. Sua música de concerto foi interpretada em vários da Europa, Ásia e América por solistas, conjuntos de câmara e orquestras de reconhecido prestígio. Formado como compositor sob a tutela do Maestro Joaquín Gutiérrez Heras, sua música foi gravada e incluída em dezenas de discos tanto de música de concerto como soundtracks. Recebeu prêmios e distinções como The Mexican Academy Award que outorga a Academia Mexicana de Artes e Ciências Cinematográficas, pela música de fundo para o filme Zurdo, dirigido por Carlos Salces, e o Mayahuel do Festival Internacional de Cinema de Guadalajara, pela música de fundo para o filme Ciudades Oscuras, dirigido por Fernando Sariñana.

CONCERTO Nº 2 PARA FLAUTA E ORQUESTRA (Vozes da Natureza)

Esta composição foi escrita por encomenda do flautista mexicano Miguel Ángel Villanueva em 2008 e apresentada pela primeira vez em 2009 pela Orquestra Sinfônica de Aguascalientes (México) com o próprio Miguel Ángel Villanueva como solista.

A obra é uma homenagem à música popular mexicana (mariachis, trios, músicos ambulantes, etc.) e à própria natureza.

SUÍTE MEXICANA OP. 16.

Esta obra foi escrita por encomenda da Orquestra de cordas dedilhadas de Schweinfurt (Alemanha) em 1986. Trata-se de um pequeno mosaico do folclore mexicano apresentado de maneira fácil e acessível. Originalmente escrita para orquestra de cordas dedilhadas (mandolinas, mandolas, guitarras e contrabaixo) usa alguns dos ritmos mais representativos e apreciados no México, como o huapango, a habanera, a valsa e a polca.

PACÍFICO, Poema para grande orquestra:Esta obra foi escrita por encomenda da Orquestra Filarmônica da Universidade Nacional Autônoma do México, que a estreou em 1989 sob direção de Jesús Medina. A obra foi dedicada a meu sobrinho, Pablo Angulo, por ocasião de seu nascimento, e trata-se de fanfarras e das grandes ondas do mar, sem agressividade, que refletem a grandeza e a beleza do Pacífico mexicano.

As três obras estão escritas em uma linguagem totalmente tonal e respeitando as mais tradicionais formas musicais. Pessoalmente, sigo amando Mozart e sua música.

Comentários de Eduardo Angulo, compositor.

EDUARDO ANGULO (1954)

Nasceu em 14 de janeiro de 1954 na cidade de Puebla, México. Iniciou seus estudos musicais aos sete anos no Conservatório Nacional de Musica da Cidade do México. Sob a direção do Maestro Vladimir Vulfman realizou sua primeira formação violinística. Em 1973 no Conservatório Nacional de Música da Cidade do México se gradua com Menção Honorífica e em 1975 no Real Conservatório de Haya, Holanda, se gradua obtendo o Prêmio de Excelência. Sua obra inclui música sinfônica, de câmara e coral assim como concertos para piano, arpa, cravo, viola, violão, flauta, etc. Quase tudo escrito por encomenda de diferentes solistas, grupos e editoras.

Contato

Orquestra Sinfônica da Universidade de São Paulo
Rua do Anfiteatro, 197 - Favo 16 - Cidade Universitária - São Paulo/SP - CEP 05508-060 Tel: (11) 3091-3000/ 2392/ 3063
Email: sinfonica@usp.br Facebook: www.facebook.com/osusp Site: www.usp.br/osusp