Assista nossos Programas

terça-feira, 12 de abril de 2016

Instituto Baccarelli estreia temporada 2016 na Sala São Paulo em 1º de maio com a Orquestra Sinfônica Heliópolis‏

Orquestra Sinfônica Heliópolis sob a batuta de
Isaac Karabtchevsky /Crédito: Renan Perobelli
Mahler, Villa-Lobos, Schubert, Tchaikovsky, Rossini, Ravel, Wagner e Stravinsky.Estes são alguns dos consagrados compositores da cena erudita internacional escolhidos para compor o repertório da temporada 2016, na Sala São Paulo, de concertos dos núcleos musicais do Instituto Baccarelli no ano em que a instituição comemora duas décadas de atuação. Reunindo obras das mais significativas – e outras menos conhecidas –, as apresentações ocorrerão de maio a dezembro. Como convidados da série Concertos Matinais, da Fundação Osesp (a principal orquestra do País), outras formações musicais do Instituto se apresentarão, também, em concertos gratuitos em alguns domingos do ano.

A estreia da temporada ocorre em 1º de maio, sob a regência de Isaac Karabtchevsky (81), diretor artístico do Instituto e regente titular da Orquestra Sinfônica Heliópolis. “A cada abertura de temporada elegemos uma sinfonia de Gustav Mahler. Desta vez, a peça escolhida para a estreia é a Sinfonia nº 4 em Sol Maior, obra que retrata o paraíso numa linguagem sensível e transparente e termina com um belo solo de soprano ou, eventualmente, de uma voz infantil”, diz o maestro. Sobre a predileção por executar obras deste compositor austríaco, Karabtchevsky complementa: “Trata-se, em larga escala, de uma tarefa vigorosa para qualquer orquestra, pois revela, de imediato, sua coesão e musicalidade. Fazê-lo com uma orquestra jovem é acreditar na capacidade dos nossos estudantes em galgar novos obstáculos e inserir-se nesse núcleo privilegiado de intérpretes mahlerianos”.

Em relação à Sinfônica Heliópolis, o maestro demonstra claramente seu orgulho pelos resultados alcançados pelo trabalho do Instituto. “Nossa orquestra foi apontada, ao lado da Osesp, por ter feito o melhor concerto de 2015 segundo voto popular. Hoje, é um grupo maduro, à altura dos desafios que temos pela frente”, diz.

No que se refere à programação que se estenderá até dezembro, destacam-se os repertórios inteiramente dedicados a um compositor específico, como Tchaikovsky (junho), Rossini (agosto) e Ravel (outubro), apresentando obras consagradas desses três grandes nomes, como o Bolero e a Suíte nº 2, Daphnis et Chloé.

Sobre a Orquestra Juvenil Heliópolis,Karabtchevsky antecipa que irá regê-la pela primeira vez, após intensa e exaustiva preparação do maestro-assistente, Edilson Ventureli. No dia 5 de junho, o grupo se apresentará como convidado da Osesp na série concertos Matinais, que leva à Sala São Paulo apresentações gratuitas aos domingos, às 11h. No repertório, Bachianas Brasileiras nº 9,de Heitor Villa-Lobos, e Sinfonia nº 4,de Franz Schubert. Ainda em junho, no dia 19 (domingo), às 16h, o Instituto Baccarelli realizará sua terceira apresentação na Sala São Paulo, desta vez com um concerto da Orquestra Sinfônica Heliópolis dedicado ao compositor russo Piotr Ilitch Tchaikovsky. A apresentação começará com a Aberturade Romeu e Julieta, a suíte Valsa das Flores, do balé O Quebra Nozes, e terminará com Capricho Italiano.

Em 20 de agosto, os músicos da sinfônica interpretarão obras de Gioachino Rossini, importante compositor italiano. No repertório, as aberturas das obrasGuillaumeTell, La Gazza Ladra, O Barbeiro de Sevilha e, para finalizar, a Abertura de La Scala de Seta.

Dia 30 de outubro, a Orquestra Sinfônica Heliópolis voltará ao palco para um concerto de celebração dos 20 anos do Instituto. Para esse dia, o repertório fará uma homenagem ao compositor francês Joseph-Maurice Ravel. No programa, as obras Pavane Pour Une Infante Défunte, a Suíte nº 2 de Daphis e Chloé e o tradicional Bolero.

Para encerrar a série de apresentações do Instituto Baccarelli na Sala São Paulo, os integrantes da sinfônica protagonizarão um concerto festivo em 18 de dezembro (domingo), às 16h, interpretando obras consagradas. Entre elas, a Abertura da Cavalleria Liggera, do compositor croata Franz Von Suppé, seguida pela Fantasia Coral Natalin, do brasileiro André Mehmari. A orquestra também irá interpretar a Abertura de Rienzi, do alemão Richard Wagner, e encerrará o concerto com a Suíte nº2 Para Orquestra de Câmara, de Igor Stravinsky.


SERVIÇO ORQUESTRA SINFÔNICA HELIÓPOLIS NA SALA SÃO PAULO
Datas: 1º/5, 19/6, 20/8, 2/10 e 18/12
Horário: 16h
Ingressos: R$ 40
Vendas: Ingresso Rápido (www.ingressorapido.com.br ou 11/4003.1212)
Capacidade: 1.484 lugares, sendo 15 cadeirantes, 4 obesos e 48 em camarotes cativos
Classificação etária: livre


SOBRE ISAAC KARABTCHEVSKY


Indicado, em 2009, pelo jornal inglês The Guardian como um dos ícones vivos da regência no País, Isaac Karabtchevsky é, desde 2011, diretor artístico do Instituto Baccarelli e regente titular da Orquestra Sinfônica Heliópolis, tendo sido um dos grandes responsáveis pelo salto qualitativo dessa orquestra. Nascido em São Paulo, estudou Regência e Composição na Alemanha, sob a orientação de Wolfgang Fortner, Pierre Boulez e Carl Ueter. Atuou como maestro e diretor artístico em prestigiadas orquestras e teatros internacionais, como a Petrobras Sinfônica do Rio de Janeiro (desde 2004); Sinfônica de Porto Alegre (2003 a 2010); Orchestre National des Pays de la Loire, na França (2004 e 2009); Orquestra Tonkünstler, de Viena (1988 a 1994); Teatro la Fenice, em Veneza (1995 a 2001); e Orquestra Sinfônica Brasileira (1969 a 1996). Por suas contribuições, recebeu inúmeras homenagens, como a medalha do Mérito Cultural do governo austríaco e a comenda Chevalier des Arts e des Lettres do governo francês, além de condecorações de, praticamente, todos os Estados brasileiros. Foi um dos criadores do Projeto Aquarius, o maior movimento de popularização da música clássica no Brasil. Desde essa experiência, nunca abandonou sua vocação de disseminar a música clássica e mantê-la viva, tendo encontrado na Orquestra Sinfônica Heliópolis a parceria perfeita.


SOBRE A ORQUESTRA SINFÔNICA HELIÓPOLIS


A Orquestra Sinfônica Heliópolis, um dos programas do Instituto Baccarelli, promove prática orquestral e conhecimento de repertório sinfônico a alunos avançados da instituição. Conta com Isaac Karabtchevsky como seu diretor artístico e regente titular e Zubin Mehta, como patrono.

A versatilidade do grupo permite à sinfônica transitar pelo universo da música de concerto e da música popular, mantendo alto padrão de excelência na execução das obras. Assim, já se apresentou sob a regência dos maestros Zubin Mehta, Peter Gülke, Yutaka Sado, acompanhada de Julian Rachlin, Erik Schumann, Domenico Nordio, Paula Almerares, Leonard Elschenbroich, Arnaldo Cohen, Jean-Louis Steuerman, Antonio Meneses, Ricardo Castro e de artistas consagrados como Ivete Sangalo, Milton Nascimento, João Bosco, Luiz Melodia, Lenine, Paula Lima, Toquinho, Fafá de Belém e Ivans Lins, entre outros. O grupo tocou em importantes palcos, como Sala São Paulo, Theatros Municipais de São Paulo e do Rio de Janeiro, Gasteig (Alemanha) e Muziekgebouw (Holanda), além de ter participado de eventos como o Festival Beethoven (Bonn/Alemanha) e Rock In Rio, com Mike Patton.


SOBRE O INSTITUTO BACCARELLI


Em 1996, sensibilizado por um incêndio de grandes proporções em Heliópolis, o maestro Silvio Baccarelli prontificou-se a ensinar música para 36 crianças e jovens da comunidade, como forma de diminuir o sofrimento das famílias atingidas e contribuir para a autoestima e possibilidade de educação desses menores. Como o bairro da zona sul paulistana não dispunha de local apropriado para as atividades, o maestro cedeu o próprio imóvel, o Auditório Baccarelli (localizado na Vila Clementino), para dar início às aulas.

Surgia, assim, o Instituto Baccarelli, uma organização sem fins lucrativos que, hoje, já em sede própria, atende cerca de 1.300 crianças e adolescentes por meio de seus programas socioculturais, os quais têm como premissa pedagógica proporcionar uma formação musical e artística de excelência, contribuindo, dessa forma, para o desenvolvimento pessoal e criando oportunidades de profissionalização na música erudita.

Para essas atividades, o Instituto dispõe de ampla estrutura, distribuída em dois prédios, onde ocorrem práticas de conjunto de 5 orquestras, 20 corais e 6 grupos de câmara, além de aulas em grupo e individuais sob a responsabilidade de 6 regentes e 60 professores.

A Orquestra Sinfônica Heliópolis (OSH), principal formação da casa, é reconhecida internacionalmente por sua qualidade artística. Composta por 65 músicos, promove o nome do bairro em todo o Brasil, impactando positivamente na identidade da comunidade e na vida dos moradores. Com direção artística de seu maestro titular, Isaac Karabtchevsky (81), a orquestra tem como patrono o maestro indiano Zubin Mehta, que visitou a instituição em 2005 e se encantou com o poder da música enquanto ferramenta de transformação social. Até hoje, a OSH é a única orquestra de toda a América do Sul que teve a oportunidade - e orgulho - de ser regida por Mehta.

Para a manutenção de suas atividades, o Instituto Baccarelli conta com os seguintes patrocinadores, distribuídos por categorias. Master: Petrobras; Ouro: BNDES, Vivo e Volkswagen; Prata: Banco Volkswagen, Bradesco, Grupo Segurador BB e Mapfre; e Bronze:Instituto Votorantim, Magazine Luiza e Pernambucanas.