Assista nossos Programas

domingo, 18 de maio de 2014

SINDMUSSP GASTOU R$ 4,3 MILHÕES EM MENOS DE UM ANO?

Por: Claudia Souza

FIQUE SABENDO PORQUE A PROFISSÃO DE MÚSICO DEVE SER RESPEITADA.

A AÇÃO DO MÚSICO TRABALHADOR GERA MILHÕES EM RIQUEZA,
 PROSPERIDADE PARA VÁRIOS SETORES E A AMBIÇÃO DE LIDERANÇAS
"INTERESSADAS" EM DEFENDER A CATEGORIA.


A força e determinação com que Gerson Tajes assumiu a liderança do SINDMUSSP e tirou do comodismo músicos em zona de conforto, abriu portas, renovou esperanças, ascendeu ideias, mudou o ar rançoso de um espaço criado para MÚSICOS e pouco aproveitado pelos mesmos; pois infelizmente o ser humano tende a gostar de encontrar tudo pronto e é cômodo quando alguém chega e resolve todos os problemas, como aparentemente fez a nova equipe. Com a posse, no mês de agosto/2013, novas expectativas foram geradas; propostas de “vamos gravar Cds de graça nos novos estúdios”, cursos, tratamento odontológico, cabeleireiro, etc. aos afiliados, criaram um mundo mágico de “Alice no país das Maravilhas” aonde os afiliados realizam o desejo do apoio profissional. Claro que é perfeitamente possível, desde que se tenha dinheiro em caixa para fazer tudo isso.

O fato é que logo depois de assumir a presidência do Sindicato dos Músicos de São Paulo e destituir Wilson Sandoli da cadeira que ocupou durante quatro décadas, Gerson Tajes tinha conhecimento do recebimento do valor de R$2.687.768,33 depositados em juízo pela empresa T4F Entretenimento S/A em meados de abril de 2013 (quatro meses antes de sua posse), fato muito divulgado durante a sua campanha. Além desse valor, o SINDMUSSP recebeu mais de R$1.677.776,50 entre os meses de Abril/2013 e Fevereiro/2014, somando o valor equivalente aproximado de R$ 4,3 milhões, isso apenas referente ao Artigo 53, sem contar com as taxas de contribuição sindical e mensalidade dos afiliados.

O que é o artigo 53?

(... “O ARTIGO 53 DA LEI 3857/60 que criou a Ordem dos Músicos, determina que todos os contratos celebrados com músicos estrangeiros somente serão registrados no Órgão competente do Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio, depois de provada a realização do pagamento pelo contratante da taxa de 10% (dez por cento) sobre o valor do contrato e o recolhimento da mesma ao Banco do Brasil em nome da Ordem dos Músicos do Brasil e do Sindicato local em partes iguais.

Parágrafo Único – No caso de contratos celebrados com base, total ou parcialmente, em percentagens de bilheteria, o recolhimento previsto será feito imediatamente após o termino de cada espetáculo.” ... )


Logo depois, os internautas e observadores visualizaram nas fotos (já retiradas) das redes sociais, viagens, almoços em restaurantes caros, trocas de veículos e várias outras ostentações dignas de celebridades. Embora ninguém tenha nada a ver com a vida particular de sindicalistas, o mero detalhe é que a diretoria do SINDMUSSP – Sindicato dos Músicos do Estado de São Paulo, logo que entrou, justificou-se com uma obra faraônica no andar, com reformas que entusiasmaram à todos pelas boas intenções, mas, que agora apresentam indícios de contas atrasadas, tentativas de empréstimos, protestos e boatos de funcionários com salários atrasados. Uma pesquisa no Serasa em 16/05 apontava mais de R$9 mil em protestos distribuídos no 3º, 5º e 6º Cartórios em São Paulo, referentes a dívidas da gestão anterior de 5/09/2012 = R$126,00; 16/6/2010 = R$9.199,00 e 5/10/2009 = R$518,00, que não se sabe porque, não foram sanadas, uma vez que entrou dinheiro no caixa.
As reformas realizadas no andar, segundo especialistas, não devem ultrapassar a marca de R$1 milhão.

1) - Sendo assim, acumulando em quase um ano, cerca de no mínimo R$4,3 milhões, por que o SINDMUSSP passa por dificuldades financeiras sem conseguir honrar seus compromissos e cumprir acordos judiciais?

2) - Será que Wilson Sandoli foi mesmo neutralizado no Sindicato? Teria havido algum tipo de acordo financeiro? Segundo o Jornal “Acorda Músico” do Sindicato, mesmo após ter recebido o os R$2,6 milhões, a administração de Sandoli tinha dívidas de apenas R$241 mil entre condomínio, protestos e plano de saúde.

3) - Por que então o Sindicato não entrou com nenhuma medida judicial para rever os R$2.687.768,33 que havia entrado no caixa quatro meses antes da retomada, caso esse dinheiro não estivesse mais na conta?

4) - Por que quando assumiu o Sindicato, não afastou Sérgio Luiz Boarin (contador) que tanto foi atacado pela chapa de Gerson Tajes durante a campanha?

Haja vista que a plataforma de denúncia espalhada pela equipe de Tajes durante sua campanha em jornal (anexado abaixo), numa coluna denominada “HIERARQUIA DA QUADRILHA”, apontava SERGIO LUIZ BOARIN (Que não é músico), como homem de confiança de Wilson Sandoli e possível corrupto, o qual agora, integra a equipe do novo presidente.

Quando iniciou a reforma da sede, o SINDMUSSP uniu-se com a Ordem dos Músicos num marketing de reforma política. Juntos, atuaram no afastamento do Ex-Presidente do Conselho Federal da OMB e nos estados do Pará, Rio de Janeiro e Bahia. Talvez, o objetivo fosse uma indicação para alguém da diretoria do SINDMUSSP assumir os cargos vagos, o que não ocorreu e consequentemente resultou na ruptura de opinião que atualmente bombardeia as redes sociais, aonde o SINDMUSSP lidera músicos nas manifestações contra a OMB, demonstrando uma mudança radical.

Na época em que se apoiavam e durante a reforma do Sindicato
reuniões e assembleias eram realizadas na sede da Ordem dos Músicos

Na foto, assembléia realizada no auditório da Ordem dos Músicos
para aprovação da contribuição sindical
O veículo informativo da Ordem dos Músicos divulgou as ações em apoio ao Sindicato.


Wilson Sandoli, também ocupava a cadeira da OMB quando foi afastado pela nova diretoria da Ordem dos Músicos. Desde então, muita coisa mudou e continua mudando de 2010 até agora, quando o Prof. Roberto Bueno assumiu a nova Diretoria, depois de 40 anos de estagnação.

Agora, o Sindicato está fazendo uma campanha para colher assinaturas de músicos para acabar com a falta de respeito do Órgão regulamentador da Profissão de Músico. Em seu encarte, está o simbolo da UGT e de Ricardo Patah, (compadre de Gerson Tajes) apoiando a ação do SINDMUSSP. 

5 ) - Qual seria a falta de respeito e dignidade às quais o SINDMUSSP se refere? Uma vez que a OMB tem por função única, regulamentar a profissão do músico e mesmo assim, oferece cursos e workshos GRATUITOS para os músicos afiliados, benefícios esses que não fazem parte das suas atribuições de regulamentador, mas que vinha exercendo enquanto Sândoli ainda estava empedrado no Sindicato.

6) - Estaria Ricardo Patah sabendo da dificuldade financeira pela qual passa o Sindicato?

As lideranças brigam entre si e pouco mais de uma dezena de músicos, mal pagos, fazem o circo nas manifestações bancando os “bobos da corte”, enquanto a realeza come do bom e do melhor e desfruta das benesses e notoriedade numa terra de cegos, aonde quem tem olho e a mão na “grana” é rei. 

Ao que parece, caso Gerson Tajes tenha êxito em suas campanhas, o líder que posteriormente assumiria a OMB para efetuar a "Moralização", provavelmente seria de sua coligação e deteria o poder das duas entidades, fazendo com que a história se repita novamente. Quem é Brasileiro já está acostumado com as dobradinhas e jogos de sucessão aonde somos manipulados e obrigados a aceitar os muito bem indicados e encaixados em cargos e "salários".

As vantages que Wilson Sandoli desfrutou ao ocupar o cargo de Presidência das duas entidades no passado, foram os empréstimos e transferências bancárias que realizava entre as contas, que ironicamente respingavam em sua contabilidade pessoal.

Quando pensamos que tudo vai mudar e em seguida percebemos que trocamos seis por meia dúzia, bate uma insatisfação temporária, até que possamos refletir e analisar os fatos que nos levaram ao cômodo lapso de acreditar em alguém melhor.

Se quiserem me provar o contrário, por favor, DIVULGUEM.
7) - AONDE ESTÁ O DINHEIRO ou o que sobrou dele?

A nossa redação tentou marcar uma entrevista com Gerson Tajes por quase dois meses para maiores esclarecimentos, sem sucesso e ficaremos aguardando uma nota respondendo aos nossos questionamentos, a qual teremos o prazer em divulgar. 

Procuramos a Ordem dos Músicos que declarou que disponibilizará uma prestação de contas para os Músicos em seu site nos próximos dez dias. Estamos aguardando.






Os demonstrativos abaixo apontam o recolhimento de 10% sobre o valor do contrato destinado ao Sindicato dos Músicos do Estado de São Paulo.

O mesmo valor também é enviado para a Ordem dos Músicos do Brasil.






















Segundo o informativo "Jornal Acorda Músico" distribuído durante a campanha para retomada do SINDMUSSP, a chapa indicava Boarin como corrupto e braço direito de Wilson Sandoli. Agora, com a atual diretoria, Boarin é visto constantemente no Sindicato e ao lado de Gerson Tajes.


QUAL A FUNÇÃO DO SINDICATO?


Conceito

O sindicato é uma associação que reúne pessoas de um mesmo segmento econômico ou trabalhista. Por exemplo, existem sindicatos de trabalhadores (carteiros, metalúrgicos, professores, médicos, etc) e também de empresários (conhecidos como sindicatos patronais).

Objetivos

Os sindicatos têm como objetivo principal a defesa dos interesses econômicos, profissionais, sociais e políticos dos seus associados. São também dedicados aos estudos da área onde atuam e realizam atividades (palestras, reuniões, cursos) voltadas para o aperfeiçoamento profissional dos associados.

Os sindicatos de trabalhadores também são responsáveis pela organização de greves e manifestações voltadas para a melhoria salarial e das condições de trabalho da categoria.

As centrais sindicais

No Brasil, existem também as chamadas centrais sindicais que reúnem sindicatos de diversas categorias. As principais são: CUT (Central Única dos Trabalhadores) e Força Sindical.

Como são mantidos

Os sindicatos são mantidos, principalmente, pelas contribuições sindicais pagas pelos trabalhadores associados.

Surgimento

Os sindicatos começaram a ser organizados durante a Revolução Industrial na Inglaterra (século XVIII). No começo, as associações eram chamadas de trade unions.


QUAL A FUNÇÃO DA OMB?

A Ordem dos Músicos do Brasil é o órgão disciplinador e fiscalizador do exercício profissional do Músico. Foi criada quando da promulgação da Lei nº. 3.857 de 22/12/1960 que previa a constituição de órgãos que garantissem o cumprimento da mesma. É uma entidade de vida própria, que se mantém sem nenhuma verba governamental, sendo sua única fonte de recursos, as anuidades e taxas de serviços pagas pelos músicos registrados. Porém, presta contas ao TCU - Tribunal de Contas da União e ao CF/OMB - Conselho Federal da Ordem dos Músicos do Brasil.


Fique por dentro das ações de cada entidade:

Ordem dos Músicos do Brasil
www.ombsp.org.br
www.facebook.com/pages/Ordem-dos-Músicos-do-Brasil-Oficial

Sindicato dos Músicos do Estado de São Paulo
www.sindmussp.com.br
www.facebook.com/SindicatodosMusicosSP


Matéria relacionada:

SINDMUSSP QUER TRANSFERIR SUAS COMPETÊNCIAS PARA A ORDEM DOS MÚSICOS DO BRASIL